Por Pe Felipe - Rio Grande do Sul ( Foi seminarista en nossa Paróquia e escreveu esse artigo em dezembro de 2007)


Já é uma certa tradição no sul que,  sempre no período do advento uma reconhecida rede de supermercados faça sua propaganda natalina. Porém, uma coisa interessante que elas possuem é o cunho cristão que trazem. Em momento algum, fazem ofertas de produtos, nada. Lembro-me de um ano em que representavam imigrantes alemães construindo uma bela capela, no outro ano mostraram a importância dos anjos da guarda, e nos últimos dois anos fizeram algo muito bonito, que penso, retrata muito bem o espírito do Advento.

Ao som de Adriana Calcanhoto cantando “Fico assim sem você”, retrataram uma menininha que na véspera do natal vê seus pais saindo de casa em direção ao hospital. Sua mãe estava para dar à luz a seu primeiro irmãozinho e ela deveria permanecer com sua avó esperando o regresso dos seus. Durante o dia de espera, ela busca ocupar-se e preparar tudo para a vinda daquele que estava para chegar! Já de noite e tomada de sono, vendo que não o venceria, deixa um sininho de natal na maçaneta da porta para que, quando seus pais chegassem, ela pudesse ser acordada pelo barulho do mesmo. No final, é expressiva a alegria que a garotinha sente ao ser acordada e ver nos braços da mãe o pequeno irmãozinho que acabara de chegar!

 Como disse, penso que esta propaganda retrata bem o advento, pois ela fala da espera alegre por alguém que encheria de alegria a vida daquela família e principalmente da menininha. Mostra os preparativos da espera; durante o dia a garotinha os espera fazendo bolo com a avó, ajeitando o quartinho do nenê... O Senhor vem para encher de alegria nossos dias, nossas vidas, por isso a espera deve ser intensa, os preparativos devem ser cheios de uma rica atenção e cheios de amor.

 A Igreja nos propõe uma dupla espera. A primeira fase do advento, isto é, até o dia 17/12 nos recorda a espera pela vinda definitiva do Senhor, pois Ele prometeu que voltaria e nós, Igreja que Ele ama. Deste modo,  esperamos ansiosos sua volta. Professamos isso a cada domingo quando dizemos “Vinde Senhor Jesus!”. Depois, vivemos a mesma espera que envolveu Maria e José, a espera do nascimento do Senhor. Uma vez que a liturgia tem o poder de atualizar o mistério da vida de Cristo, na celebração do natal nós somos levados até à gruta em Belém e vivemos o evento do natal em toda sua profundidade e por isso podemos e devemos esperar o nascimento do Senhor!

 Devemos, pois, esperar o Senhor; cantar inocentemente a Cristo que “eu não existo longe de você...” e nos dias que antecedem à noite de natal, cantar segregando ao coração de Jesus que “eu conto as horas pra poder te ver, mas o relógio tá de mal comigo!” Nossa espera pelo Senhor deve ser esta, das crianças pela entrega dos presentes, dos parentes distantes que só podem se encontrar anualmente no natal, ansiosos pelo reencontro!

 Preparemos bem nossos corações neste natal, para que quando a sagrada família nos bater à porta, possamos não somente “arranjar-lhes” um canto, mas escancarar nossas portas e dizer-lhes cheios de alegria: entrem, pois eu estava te aguardando!


 Agradecimento

 Depois de dois anos atuando dominicalmente na Paróquia Jesus Bom Pastor de Anchieta, gostaria de sucintamente agradecer a comunidade por tudo que neste período me possibilitaram. Agradeço primeiramente ao pároco, padre Benedito Jales Dantas, pela acolhida e pela fraterna convivência. Agradeço também a todas as pastorais, especialmente aos coroinhas e a seus pais que confiaram seus filhos a nossa formação, aos jovens pela alegria e paciência comigo, a comunidade da Aroeira, ao pessoal da cantina, da catequese, do crisma, enfim a todos os paroquianos com os quais tive a alegria de conviver. A todos meu muito obrigado e meu perdão sincero pelas vezes que com meus atos não vos transmiti Jesus!