A Missa

3.2  As Partes da Missa : A Liturgia da Palavra ( A Mesa da Palavra de Deus )

      •  A Primeira Leitura: A primeira leitura é escolhida do Antigo Testamento de acordo com a temática do Evangelho, e nos  narra o anúncio profético dos acontecimentos que envolvem a pessoa de Jesus Cristo. No Tempo Pascal é extraída dos Atos dos Apóstolos, pois esse livro nos mostra a vida da Igreja logo depois da Ressurreição do Senhor.

      •  O Salmo Responsorial: Constitui uma resposta meditativa e orante da Assembléia à Palavra que precedeu.

      •  A Segunda Leitura: É tirada das Epístolas do Novo testamento, sendo lidas sem que haja nexo com o tema do Evangelho. Nelas encontramos uma experiência concreta da vida cristã.

      •  A Aclamação do Evangelho: Todos se levantam, em sinal de respeito e compromisso. Esta aclamação é portanto, um compromisso com a pessoa Jesus, que vem nos falar.

  As leituras dos domingos estão distribuidas num ciclo de três anos: A (Mateus), B (Marcos), C  (Lucas). João não tem ano especial porque é o evangelista dos períodos solenes.

      •  O Evangelho: Neste momento todos se encontram de pé, demonstrando a disponibilidade ao que o Senhor vai nos dizer. Na proclamação do Evangelho,nos persignamos na fronte, para que a mensagem penetre em nossas mentes; nos lábios, para anunciarmos aos irmãos a mensagem que nos é transmitida e no peito, para que vivamos a mensagem que nos será anunciada. ( o benzer-se neste momento, não faz parte do rito). seja qual for o evangelista, a mensagem é sempre a mesma: o anúncio da salvação. O evangellho é o próprio Cristo quem nos fala, por isso deve ser proclamado por um ministro ordenado e ser ouvido de pé. É excluida da proclamação da Palavra de Deus em forma dialogada, sucessiva ou como que encenada. A instrução Geral nos diz no no 109 o seguinte: " Não convém de modo algum que várias pessoas dividam entre si um único elemento da celebração, por exemplo, a mesma leitura feita por dois, um após o outro, a não ser que se trate da Paixão do Senhor".

      •  A Homilia: Homilia, quer dizer na sua designação, uma conversa bem familiar. É proferida por um ministro ordenado, nunca por um leigo. Faz parte da Liturgia da Palavra e é a ocasião clássica e privilegiada para expor o místerio de Cristo partindo dos textos sagrados lidos, relacionando-os à vida concreta, no nosso dia-a-dia.

      •  A Profissão de Fé: O símbolo deve ser cantado ou recitado pelo sacerdote com o povo aos domingos e solenidades. Existem dois textos para ser feita a profissão de fé. O símbolo dos Apóstolos ( Creio em deus Pai) e o símbolo Niceno ( Creio em um só Deus Pai). Quando o símbolo Niceno é dito, às palavras E se encarnou pelo Espírito Santo, todos se inclinam profundamente, mas  nas solenidades da Anunciação do Senhor e do Natal do Senhor todos se ajoelham. A Profissão de Fé é feita com a Assembléia de pé, declarando pública e conscientemente a fé que recebeu dos Apóstolos e se compromentendo a seguir o que foi ensinado na Liturgia da Palavra.

      •  As Preces da Comunidade: Trata-se do momento de oração que integra a Liturgia da Palavra. A oração dos fiéis é sempre um grande momento de espontaneidade dentro da celebração. Pede-se por todas as necessidades e não deve ficar nas intenções formuladas no folheto litúrgico. A Comunidade pode e deve expressar com simplicidade as suas necessidades.